<$BlogRSDURL$>

12.2.04

Aqueles que...

falam da religião como a alienação suprema não imaginam de quantas alienações ela nos liberta. Assim falava José Régio. Não deixa de ter razão o homem. Ainda que a religião seja muito provavelmente uma mitologia a raiar o absurdo - e tudo indica que sim - a verdade é que a fé opera prodígios.

A psique humana está ainda muito mal estudada e a psicologia não passa duma ciência incipiente. Que a sugestão, a crença, a entrega a um ser superior em quem plenamente se confia, pode ter efeitos extremamente benéficos no ser humano - sabemo-lo todos nós. Agora o modo em que o espírito interactua com o físico é que ainda permanece um mistério.

Portanto, filhas, nada perdeis em ser devotas, nada perdeis em vos entregardes a Jesus Cristo, nosso Senhor, e à Virgem Maria, sua Santíssima Mãe, desde que tal opção vos deixe livre o exercício natural da pudenda e o usufruto normal dos prazeres da vida.

Uma das perversões de muitos padres foi identificar o prazer sexual com o pecado. Ora o desfrute natural da pudenda é um dom de Deus, algo de muito aprazível e gratificante para quem vive neste vale de lágrimas, onde há tanta coisa bonita - não o nego - , mas onde há também tanta coisa horrível e feia.

Aproveitai, pois, esse dom de Deus da melhor maneira, mas sem ornamentar a testa dos vossos maridos, ok?

Que o Senhor vos abençoe na paz da salvação.



Um gajo até fica parvo...

com as notícias que chovem de vez em quando. Desta vez foi um padre espanhol. O filho da polícia, em vez de preparar as meninas para a sagrada comunhão, abusava da inocência delas com fins libidinosos.

Já não se pode confiar em ninguém. O DOMVS IVSTITIAE lá deles espetou-lhe com 11 anos de prisão. Bem feita.



O que não está bem...

é a igreja condenar os padres à incontinência sexual perpétua sob pena de violarem o voto de castidade a que estão canonicamente obrigados. Ora isto é um crime anti-natura. Os padres não são eunucos, são homens inteiros ! Como querem, pois, condená-los a viver no reino da Capadócia, acaso não me dizem?

Ai filhas, cada vez que penso em tanta virilidade desperdiçada, em tanta terra de pousio , tudo em nome de dogmas mal amanhados e santas estupidezes. Penso em Bernadette Soubirous, a vidente de Lourdes, na nossa irmã Lúcia, coitadinha, que nunca soube nem nunca saberá o que é o bem-bom , penso em tantas virgens que morrem donzelas em nome dum talibanismo maluco que ignora em absoluto as leis da natureza.

Chassez le naturel, il revient au galop, "expulsai a natureza que ela voltará a galope" - diz um locução francesa. Os escândalos sexuais que em todos os tempos vêm abalando a igreja é prova disso. Mas ninguém toma medidas e depois é o que vamos vendo.

O direito dos padres ao matrimónio e à felicidade é um direito natural cada vez mais imperativo.


Comments: Enviar um comentário

This page is powered by Blogger. Isn't yours?